Mercado de Trabalho em telecomunicações

Mercado de Trabalho em telecomunicações

O mercado de trabalho em telecomunicações está muito aquecido.

Com a chegada da tecnologia 5G ao Brasil, temos observado o aparecimento de oportunidades para profissionais de diversos níveis. E as principais empresas do setor estão sempre atentas, não só em gente mais experientes, mas aos talentos com menos tempo de atividade e até mesmo aos egressos no ensino superior.

As empresas do setor procuram profissionais bastante completos, com uma base sólida em elétrica e eletrônica. A responsabilidade é significativa. Eles devem ser capazes de cuidar de várias etapas de um projeto – do planejamento ao desenvolvimento e construção de aparelhos e equipamentos da área de telecomunicações, bem como a operação e manutenção nas redes e em sistemas implantados. Dependem do trabalho desse profissional toda a rede de telefonia, seja móvel ou fixa, além das redes de computadores, transmissão de dados, rádio e TV.

Ao ingressar na carreira, o profissional de telecomunicações normalmente pode trabalhar em duas áreas: a de Sistemas de Transporte (projeto, composição e aplicabilidade dos sistemas de transmissão de informações) ou a de Redes de Serviços (sistemas telefônicos, redes de transmissão de dados e redes integradas de serviço).

Um dos exemplos e atuação é na área de Internet Móvel, em que ele cuida do desenvolvimento de sistemas de transmissão de dados em aparelhos móveis com acesso à internet, utilizando principalmente as tecnologias 3G, 4G e 5G.

No Brasil, destacam-se dez instituições formadoras, a maioria ofertando vagas em Engenharia Elétrica, com ênfase em telecomunicação.

São elas: Universidade de São Paulo (USP), Instituto Nacional de Telecomunicações na mineira Santa Rita do Sapucaí (Inatel), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Pontifícia Universidade Católica em Campinas (PUC-Camp), Universidade de Pernambuco (UPE),  Universidade Federal Fluminense em Niterói (UFF) e Centro Universitário Salesiano de São Paulo em Campinas (Unisal). Também são destaques a Universidade de Brasília (UnB), com o curso Engenharia de Redes de Comunicação; e a Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, com o curso Engenharia de Teleinformática.

Os jovens egressos são cobiçados no mercado porque saem com a credibilidade de excelentes centros de formação, que capacitam e aprimoram habilidades e competências mais amplas para os desafios de um setor em permanente evolução tecnológica.

* Leandro Giovanaz é diretor-presidente da Transat Telecomunicações