Tribunal de Justiça de Tocantins: transmissão de áudio e vídeo digitais

Tribunal de Justiça de Tocantins: transmissão de áudio e vídeo digitais

Uma das especialidades da TranSat é levar soluções de conectividade, via satélite, para localidades sem a mesma infraestrutura dos polos mais desenvolvidos do País.

Um exemplo disso é Tocantins, mais nova das 27 unidades federativas do Brasil. Criado em 1988, durante a Assembleia Nacional Constituinte, o estado começou a ser formado no ano seguinte. Sua capital, Palmas, foi fundada como uma cidade planejada e teve que se estruturar ao longo dessas três décadas.

Muito havia a ser feito para equipar a capital em um estado com significativas dimensões: o 10º maior em área territorial no Brasil, superando a área de países como Equador e a Nova Zelândia. Com o crescimento da cidade, hoje com 300 mil habitantes, foram sendo construídos os prédios para o abrigar instituições tocantinenses.

Um deles é o Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins. Como todo órgão dos Três Poderes, o Tribunal precisa dar publicidade a suas ações, atendendo aos princípios de transparência

Com essa premissa, a Transat foi chamada para ajudar o Tribunal na missão de divulgar e transmitir suas diversas atividades por meio da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat).

Com o melhor custo benefício, a Transat disponibilizou um segmento espacial em satélite com operação em Banda C (faixa de frequência utilizada nas comunicações com satélite) com cobertura em todo o território nacional para transmissão de áudio e vídeo digitais. No processo, a equipe da Transat cuidou de todo o processo, incluindo hardware, software e integração de redes.

A solução da Transat possibilitou que a população do Estado, espalhada em 139 municípios, possa ter pleno acesso às decisões do TJ.

* Leandro Giovanaz é diretor-presidente da Transat Telecomunicações